Indução da ovulação

Indução da ovulação

O mais antigo e também o mais simples dos tratamentos em reprodução humana assistida é a relação sexual programada ou simplesmente a indução da ovulação.
É indicado principalmente em caso de distúrbios ovulatórios, como a chamada Síndrome dos Ovários Policísticos.
Trata-se de um procedimento no qual a ovulação é estimulada pela injeção de hormônios específicos para os ovários chamados de gonadotrofinas. As aplicações são diárias e duram em média dez dias.
Durante este período de estimulação o crescimento do óvulo é monitorado pelo ultrassom realizado a cada dois ou três dias. Quando o diâmetro ideal é atingido, algo em torno de 18 mm, é desencadeado a ovulação com um hormônio chamado HCG ou LH.
As relações sexuais devem ocorrer trinta e seis horas após a injeção do último hormônio.
As taxas de sucesso deste tratamento variam entre 10 e 15%.